Usa Flag / English Version Bandeira do Brasil / Versão em Português
CURRENT MOON
Lua atual

EXEMPLO DE GOVERNANTE PARA O MUNDO - por Nelson Travnik.

D
13/05/2020

M E M O R I A

EXEMPLO  DE  GOVERNANTE  PARA  O  MUNDO

por Nelson  Travnik

A maioria só lembra dele ao ver seu nome inserido em avenidas, ruas, praças, colégios e instituições diversas. Só lembram dele apenas como um velhinho bondoso, sendo banido do País com toda sua família pelo golpe militar de 15 de novembro de 1889. Infelizmente a maioria desconhece muitos fatos relevantes da memória histórica nacional e nesse contexto está a figura excelsa do nosso Imperador D. Pedro II e suas realizações em uma época  que os brasileiros se orgulhavam de pertencer a um País de Primeiro Mundo. Depois dele veio o presidencialismo mergulhando o País no Terceiro Mundo, causando mais dissabores do que alegrias.

D. Pedro II, nasceu no Rio de Janeiro, no Paço de São Cristovão, aos 20 minutos do dia 2 de dezembro de 1825 portanto, há 195 anos. Era filho de D. Pedro I e da Imperatriz Leopoldina, Arquiduquesa da Áustria. Com a abdicação do pai, foi entronizado em 7 de abril de 1831. Por ter apenas 5 anos, ficou entregue a tutoria de José Bonifácio de Andrade e Silva, Patriarca da Independência, substituído em 1833 pelo Marquês de Itanhaém e logo depois em 1839, por Candido José de Araujo Viana. Após nove anos de lutas internas e tumultos que o período regencial não conseguia contornar, a maioridade de D. Pedro II foi declarada pela Assembléia Legislativa em 23 de julho de 1840, na palavra do seu presidente, Marquês de Paranaguá. Era um adolescente de pouco mais de 14 anos. Em 18 de junho de 1841, ele recebeu a espada, cetro, coroa, globo e a mão da justiça na festa da Sagração e Coroação na Capela do Carmo, na Praça 15. Com 15 anos prestou seu juramento constitucional. Desde cedo nutria especial interesse por história, filosofia, música, literatura, biologia, medicina, arqueologia, matemática e astronomia. Essa última talvez, a sua maior paixão. Poliglota falava 16 idiomas. Com o tempo adquiriu conhecimentos enciclopédicos, que mais tarde o conduziriam a Academia de Ciências da França. Assegurou a independência do Uruguai e do Paraguai, além de sufocar cinco revoluções, garantindo 40 anos de paz interna, que veio contribuir decisivamente para a libertação de dois milhões de escravos. Sábio e magnânimo, era para Gladstone, uma dos maiores estadistas ingleses, ‘modelo para todos os soberanos do mundo’.

Em 15/10/1827, seu pai criou por Decreto, no Rio de Janeiro, o  Imperial  Observatório, o 1º do hemisfério sul.  Mas foi a partir de D. Pedro II,   astrônomo amador, sócio nº 85  da Sociedade Astronômica da França, que o Observatório ganhou notoriedade com a contratação dos astrônomos Emmanuel Liais da França (1826-1900) e Louis Cruls da Bélgica (1848-1908) . D. Pedro II dedicou-se a instituições científicas e culturais ; construção de estradas de ferro, de rodagem, telégrafos por cabos submarinos e usinas hidroelétricas. Construiu em Juiz de Fora, MG, a Primeira Usina Hidroelétrica da América do Sul. Quando terminou o Império, o Brasil possuía 9.583 km de ferrovias. Em 1876 foi aos Estados Unidos conhecer o recém inventado telefone e, no ano seguinte, deu uso prático a ele no Rio de Janeiro, antes mesmo daquele país onde era apresentado em feiras como brinquedo. Fomos assim, o segundo pais do mundo a utilizar o telefone. Depois da Inglaterra, o Brasil em 1843 foi também o primeiro a emitir o selo postal e no ano seguinte iniciou-se a entrega de cartas a domicilio. A telegrafia teve inicio em 1852. Em 1854 foi inaugurada a iluminação a gás nas ruas centrais do Rio de Janeiro.

No campo da Defesa Nacional, nossa Marinha estava entre as primeiras do mundo. Abriu o País a colonização estrangeira, principalmente a italiana  e alemã que geraram uma prosperidade até hoje desfrutada de São Paulo ao Rio Grande do Sul. Patrocinou os estudos na Itália do campineiro Antonio Carlos Gomes, que se tornaria o maior compositor das Américas. Ajudava Richard Wagner, que chegou a cogitar em retribuição, estrear no Rio de Janeiro  a sua imortal opera ‘Tristão e Isolda’. Em 1876 esteve em Bayreuth, Alemanha, ao lado de reis, príncipes, intelectuais e das maiores expressões do mundo artístico, por ocasião da inauguração do Festspielhaus, o Templo da Música Wagneriana. Em 24/06/1994 visitei o Teatro e me foi mostrado o camarote com a cadeira onde ele se sentou.

Em 06/12/1882, financiou 3 missões científicas para observação do trânsito do planeta Vênus pelo disco solar, evento esse que só voltaria acontecer em 08/06/2004. Você sabia que o asteróide nº 293, Brasília, descoberto em 1890 pelo astrônomo francês A. Charlois recebeu esse nome em homenagem a D. Pedro II ? Doou vários instrumentos ao Imperial Observatório dentre eles uma luneta astrográfica que deveria ser usada no Programa Internacional da Carta do Céu. Outros instrumentos adquiridos  por ele na Inglaterra chegou justamente a época da Proclamação da República e os republicanos não  perderam tempo :  mandaram tudo de volta !

O Imperador que  deslumbrou intelectuais como Victor Hugo, Julio Verne, Lamartine, Renan, Denis, George Sand, Maspero, Prud’home, Flammarion, Sant Saëns e tantos outros, faleceu de pneumonia aos 30 minutos do dia 5 de dezembro de 1891 aos 66 anos. Seu corpo foi vestido com a farda de General do Exército Brasileiro. No caixão, sua cabeça recostava num travesseiro de veludo recheado com terra do Brasil. Cerca de 300 mil franceses, mais do que no enterro do imortal Victor Hugo, prestaram a sua última homenagem ao Imperador do Brasil, quando seu corpo foi transportado para Lisboa onde ficaria até 1921. Neste ano, revogada a Lei do Banimento, seus restos mortais foram trazidos pelo Encouraçado São Paulo e depositados na Catedral do Rio de Janeiro. Em 1925 foram para a Catedral de Petrópolis, na ala destinada a Família Imperial, onde encontra-se em paz, cercado do carinho e admiração de todos que o visitam. Hoje historiadores sérios atribuem a D. Pedro II, o título de “O Maior dos Brasileiros” e sua devoção a ciência do céu, certamente levou seu espírito para junto das estrelas.

Nelson Travnik é astrônomo, petropolitano, diretor do Observatório Astronômico de Piracicaba Elias Salum e Membro Titular da Sociedade Astronômica da França.

Bo!

Boletim Observe! do mês de outubro ...
Boletim Observe! do mês de outubro de 2020
Nobres colegas. O Boletim Observe! do mês de outubro de 2020 está disponível no endereço eletrônico mencionado a seguir: http://www.geocities.ws/costeira1/neoa/observe.pdf Leia a edição atual do ... Leia mais

Nobres colegas. O Boletim Observe! do mês de outubro de 2020 está disponível ... Leia mais
28/09/2020
Vera_rubin

Maior câmera digital do mundo ...
Maior câmera digital do mundo será utilizada em Observatório Astronômico.
Maior câmera digital do mundo será utilizada no Observatório Vera C. Rubin, anteriormente conhecido como LSST (Large Synoptic Survey Telescope). Maior câmera digital do mundo obtém as primeiras imagens A ... Leia mais

Maior câmera digital do mundo será utilizada no Observatório Vera C. Rubin, ... Leia mais
18/09/2020
Haroldo

Descoberto gás "fosfina" na ...
Descoberto gás "fosfina" na atmosfera de Vênus.
Gás encontrado na atmosfera de Vênus pode indicar vida extraterrestre microbiana Fosfina é produzida na atmosfera terrestre por micróbios anaeróbicos (que não precisam de oxigênio) ou pela atividade ... Leia mais

Gás encontrado na atmosfera de Vênus pode indicar vida extraterrestre microbiana ... Leia mais
14/09/2020