Usa Flag / English Version Bandeira do Brasil / Versão em Português
CURRENT MOON
Lua atual

Sobre o Sistema Solar

O Sistema Solar consiste em 8 planetas e outros corpos menores orbitando nossa estrela mais próxima, o Sol. As órbitas dos planetas ao redor do Sol não são círculos perfeitos. Na realidade, são elipses quase circulares. O Sol não está no centro da órbita elíptica de um planeta, mas um pouco deslocado para o lado, posicionado num ponto chamado foco. O sistema solar é apenas um pontinho microscópico no interior de nossa galáxia (chamada Via Láctea ou Milk Way) e, a nossa galáxia, também é um pontinho minúsculo na imensidão do Universo. 

 Em torno do Sol circundam os seguintes corpos:

8 planetas;

5 planetóides ou planetas anões;

138 satélites;

1600 asteróides;

vários cometas.

Os planetas que circundam o Sol, a partir do mais próximo para o mais distante, são:

Mercúrio          – diâmetro:   4.879Km;

Vênus              – diâmetro: 12.103Km;

Terra                – diâmetro: 12.726Km;

Marte                – diâmetro:    6.780Km;

Júpiter              – diâmetro: 142.984Km;

Saturno           – diâmetro: 120.536Km;

Urano              – diâmetro:   51.118Km;

Netuno            – diâmetro:   49.528Km;

Com exceção de Mercúrio e Vênus, todos os outros planetas possuem satélites naturais, ou seja, objetos orbitantes que chamamos de lua.

Regras oficiais da União Astronômica Internacional (IAU) para definir planetas:

  • 1 - O corpo deve orbitar uma estrela sem ter ele próprio luz própria;
  • 2 - Ter massa suficiente para ter forma esférica, devido à sua própria gravidade;
  • 3 - Forte interação com o meio: haver “varrido” a sua vizinhança, ou seja, estar livre de corpos cujas órbitas possam causar colisões;

Obs.: Os planetas anões não satisfazem o item número 3.

Distâncias do Sol e tempo de uma órbita dos planetas:

Os planetas são imensamente pequenos quando comparamos com o Sol e as órbitas dos primeiros 4 planetas (Mercúrio, Vênus, Terra e Marte) são relativamente próximas a ele. Esses planetas por serem rochosos e devido à atração gravitacional são mais próximos do Sol. Quanto mais próximo do Sol, mais rápida é a órbita do planeta:

Planeta:  <>  Raio orbital médio:   <>     Tempo para completar uma volta em torno do Sol (1 ano do planeta):

Mercúrio  <>      57.909.100 Km      <>        87,969 dias terrestres;

Vênus      <>    108.208.930 Km      <>      224,7 dias terrestres;

Terra        <>    149.597.870 Km      <>      365, 6 horas e 9 minutos terrestres;

Marte        <>    227.939.100 Km      <>      686,971 dias terrestres;

Para os planetas mais afastados do Sol, as distâncias das órbitas se tornam proporcionalmente muito maiores quando comparadas aos planetas próximos. Esses 4 planetas afastados (Júpiter, Saturno, Urano e Netuno) não são rochosos e sim gasosos.

Planeta:   <>   Raio orbital médio    <>    Tempo para completar um volta em torno do Sol (1 ano do planeta):

Júpiter      <>         778.547.200Km   <>      11,87 anos terrestres;

Saturno    <>      1.430.560.548Km   <>      29 anos, 167 dias e 6,7 horas terrestres;

Urano       <>       2.876.679.082Km   <>     84,1 anos terrestres;

Netuno     <>       4.498.252.900Km   <>   167,8 anos terrestres;

Planetóides e corpos menores:

No Sistema Solar existem além dos 8 planetas já citados, mais 5 planetóides ou planetas anões. Os planetóides não obedecem à terceira regra oficial da União Astronômica Internacional (IAU) para definir planetas. Por isso, em agosto de 2006, a União Astronômica Internacional “rebaixou” ou redefiniu o até então planeta Plutão como planeta anão. No caso específico de Plutão (último planeta descoberto, em 18 de fevereiro de 1930, pelo astrônomo americano Clyde W. Tombaugh), o ex-planeta não atendeu o quesito número 3 das regras oficiais da IAU que definem planeta, ou seja, “Forte interação com o meio: haver “varrido” a sua vizinhança, ou seja, estar livre de corpos cujas órbitas possam causar colisões”. Plutão foi redefinido como planetóide por estar situado no Cinturão de Kuiper (região repleta de pequenos corpos celestes orbitando após Netuno).

 Planetas anões são objetos do sistema solar que:

- orbitam o Sol;

- tem uma forma quase redonda;

- não tem uma vizinhança limpa, ou seja, não estão livres de corpos cujas órbitas possam causar colisões;

- não são satélites.

Os planetóides ou planetas anões são os seguintes:

Plutão (diâmetro: 2.374 Km) ;

Ceres (930 Km);

Eris (2.330 Km);

Makemake (1.426 Km);

Haumea (1.252 Km);

 

Plutão tem 5 luas. Caronte (Charon), com 1.213,4 Km de diâmetro, é a a maior lua de Plutão. As outras quatro luas possuem formatos irregulares: Nix (54,7 Km x 40 Km x 35,4 Km), Hydra (43,5 Km x 33,8 Km), Styx (9.7 x 5,3 Km) e Kerberos (11,3 Km x 8 Km).

 

Os asteróides, que são corpos espaciais menores, orbitam no gigantesco espaço entre Marte e Júpiter que abriga múltiplos objetos irregulares menores, conhecido como Cinturão de Asteróides.

Corpos celestes pequenos chamados OCK (Objetos do Cinturão de Kuiper) ou KBO (Kuiper Belt Object) orbitam numa vasta região depois de Netuno, chamada Cinturão de Kuiper.

Os cometas também orbitam o Sol, mas suas órbitas se estendem muito além do que qualquer planeta no nosso Sistema Solar. Os limites do Sistema Solar são geralmente considerados parte da Nuvem de Oort, região distante de onde se originam os cometas, que fica além do Cinturão de Kuiper.

 Como se formou o Sistema Solar ?

Segundo os cientistas, uma enorme nuvem de pó e gás espacial foi se juntando e acumulando pela força da gravidade própria. Essa aglomeração começou a girar e o centro virou o Sol. Os pedaços menores mais próximos tornaram-se planetas e alguns satélites. Estima-se que a maior parte do Sistema Solar, incluindo a Terra, formou-se a cerca de 4,6 bilhões de anos. Estima-se que o Sistema Solar tenha 1/3 da idade do Universo, que é 13,7 bilhões de anos.

Sobre o SOL:

Através de fusão nuclear no núcleo do Sol, a cada segundo, acontece a transformação de 600 milhões de toneladas de hidrogênio em hélio.

Até agora, os astrônomos já identificaram mais de 70 elementos químicos presentes no nosso Sol. A ilustração abaixo apresenta os 10 principais elementos, por massa.

 

Dados sobre o Sistema Solar:

Diâmetro:

1,24 milésimos de AL (Ano-Luz);

Plano:

O plano do Sistema Solar não é paralelo ao plano da nossa galáxia.

Estrela mais próxima:

A estrela Próxima Centauro é a estrela mais próxima da Terra. É a estrela mais fraca do sistema triplo Alpha Centauri. Está posicionada numa distância de 4,2 AL;

Estrelas vizinhas:

20 estrelas encontram-se num raio de 20 AL do Sol.

Tamanho do Sol:

Seu diâmetro é aproximadamente 1.400.000 Km. O Sol é considerado uma estrela de tamanho médio;

Início do Sol:

4,6 bilhões de anos atrás;

Tempo previsto de vida do Sol:

5 bilhões de anos (está na meia vida);

Distância do Sol a Terra:

Aproximadamente 150.000.000Km (medida chamada 1 UA – uma Unidade astronômica).

Volume do Sol:

1,3 milhões de vezes o volume da Terra.

Eclipse_lunar

Projeto de Observação do Eclipse ...
Projeto de Observação do Eclipse Lunar Total de 27 de Julho de 2018 no Lunissolar
Projeto de Observação do Eclipse Lunar Total de 27 de Julho de 2018 no Lunissolar Caros amigos, Acabamos de disponibilizar, em nosso portal de eclipses Lunissolar, uma versão temporária em inglês do projeto de ... Leia mais

Projeto de Observação do Eclipse Lunar Total de 27 de Julho de 2018 no Lunissolar ... Leia mais
09/10/2017
Sao

Blog "Sky and Observers" - outubro ...
Blog "Sky and Observers" - outubro 2017.
Caros(as) amigos(as), Neste mês estão publicados no Blog "Sky and Observers" os seguintes assuntos: - O asteroide (48) Doris em 2017! https://goo.gl/EM8s7M - O asteroide (42) Isis em 2017! https://goo.gl/iPTYu5 ... Leia mais

Caros(as) amigos(as), Neste mês estão publicados no Blog "Sky and ... Leia mais
01/10/2017
Boletim_observe

Boletim Observe! do mês de outubro ...
Boletim Observe! do mês de outubro de 2017.
O Boletim Observe! do mês de outubro de 2017 está disponível no endereço eletrônico abaixo: http://www.geocities.ws/costeira1/neoa/observe.pdf Leia a edição atual do Boletim Observe! Atenciosamente ... Leia mais

O Boletim Observe! do mês de outubro de 2017 está disponível no endereço ... Leia mais
01/10/2017
Telesc%c3%b3pio_icon3

Nelson Travnik: o astrônomo ...
Nelson Travnik: o astrônomo pioneiro!
Numa época em que tudo era difícil, veja abaixo o que o grande pioneiro da astronomia brasileira, Nelson Travnik, desenvolveu no Observatório Astronômico Flammarion, em Minas Gerais, nas décadas de 1950, 1960 e ... Leia mais

Numa época em que tudo era difícil, veja abaixo o que o grande pioneiro da astronomia ... Leia mais
01/10/2017