Usa Flag / English Version Bandeira do Brasil / Versão em Português
CURRENT MOON
Lua atual

A Família LINNÉ

A Família LINNÉ:

Existe na região de lavas negras do Mare Serenitatis, uma linha norte-sul de jovens e minúsculas crateras de impacto, conhecidas como a Família LINNÉ. São elas: Linné G, H, F, B e A.   Nessa cadeia de pequeníssimas crateras em forma de linha retaLinné F e B são um pouco maiores com cerca de 5 Km de diâmetro cada uma.

LINNÉ propriamente dita, encontra-se a sudoeste dessa linha.

 

Cratera LINNÉ 

Diâmetro: 2,2 Km - recentemente afirmado pela NASA;

Profundidade: 0,6 Km; 

Coordenadas SelenográficasLat: 27.7º N  Lon: 11.8º E.

Período Geológico Lunar: Copernicano (de -1,1 bilhões de anos aos dias atuais).

Foto: A família LINNÉ.

Linné é uma pequeníssima cratera de impacto circular em forma de "tigela", de localização isolada nas lavas escuras no lado oeste do Mare Serenitatis, com 600m de profundidade e circulada por uma “manta ou cobertor” de material na cor clara ou branca, ejetado no impacto de sua criação. Foi "batizada" em homenagem a Carl Von Linné: (1707 – 1778) , Botânico, médico e zoólogo sueco, que criou a nomenclatura binomial e a classificação científica, considerado o pai da taxonomia moderna. 

Linné é uma cratera relativamente muitíssimo jovem, com idade estimada em apenas poucas dezenas de milhões de anos.  Esse tamanho de cratera testa o limite da percepção visual dos pequenos telescópios.

Foto: Uma outra visão da região da Cratera LINNÉ, vendo-se no detalhe, uma foto da Cratera LINNÉ feita pela sonda lunar americana LRO.

LINNÉ uma pequena cratera com grande mistério:

Desde a segunda metade do século IX, existem relatos sobre LINNÉ, envolvendo ocorrências de TLP (Transient Lunar Phenomenon – fenômeno lunar transitório, breve ou passageiro, que são descritos como aparições rápidas de luzes, cores ou mudança de aparência no visual, o que poderia demonstrar a existência de manifestações vulcânicas, escape de gases ou outros processos geológicos que supostamente implicaria que a lua não estaria geologicamente morta. O termo TLP foi criado em 1968 pelo astrônomo inglês Sir Patrick Moore, autor de mais de 70 livros sobre astronomia e colunista da revista inglesa Sky at Night.

 

Eclipse_lunar

Projeto de Observação do Eclipse ...
Projeto de Observação do Eclipse Lunar Total de 27 de Julho de 2018 no Lunissolar
Projeto de Observação do Eclipse Lunar Total de 27 de Julho de 2018 no Lunissolar Caros amigos, Acabamos de disponibilizar, em nosso portal de eclipses Lunissolar, uma versão temporária em inglês do projeto de ... Leia mais

Projeto de Observação do Eclipse Lunar Total de 27 de Julho de 2018 no Lunissolar ... Leia mais
09/10/2017
Sao

Blog "Sky and Observers" - outubro ...
Blog "Sky and Observers" - outubro 2017.
Caros(as) amigos(as), Neste mês estão publicados no Blog "Sky and Observers" os seguintes assuntos: - O asteroide (48) Doris em 2017! https://goo.gl/EM8s7M - O asteroide (42) Isis em 2017! https://goo.gl/iPTYu5 ... Leia mais

Caros(as) amigos(as), Neste mês estão publicados no Blog "Sky and ... Leia mais
01/10/2017
Boletim_observe

Boletim Observe! do mês de outubro ...
Boletim Observe! do mês de outubro de 2017.
O Boletim Observe! do mês de outubro de 2017 está disponível no endereço eletrônico abaixo: http://www.geocities.ws/costeira1/neoa/observe.pdf Leia a edição atual do Boletim Observe! Atenciosamente ... Leia mais

O Boletim Observe! do mês de outubro de 2017 está disponível no endereço ... Leia mais
01/10/2017
Telesc%c3%b3pio_icon3

Nelson Travnik: o astrônomo ...
Nelson Travnik: o astrônomo pioneiro!
Numa época em que tudo era difícil, veja abaixo o que o grande pioneiro da astronomia brasileira, Nelson Travnik, desenvolveu no Observatório Astronômico Flammarion, em Minas Gerais, nas décadas de 1950, 1960 e ... Leia mais

Numa época em que tudo era difícil, veja abaixo o que o grande pioneiro da astronomia ... Leia mais
01/10/2017