Usa Flag / English Version Bandeira do Brasil / Versão em Português
CURRENT MOON
Lua atual

Estrelas Variáveis

 

OBSERVANDO ESTRELAS VARIÁVEIS

por João Marcos

Uma das coisas mais importantes em astronomia observacional é a transformação do objeto observado em dados de observação. É quando um fenômeno físico vira números. De posse desses dados os astrônomos aplicam equações matemáticas e criam novas teorias. Para se entender o que se está vendo é necessário uma metodologia científica com critérios para a análise da observação. Uma das formas de se fazer isso é através da estimativa de brilho na observação de estrelas variávies.

Há cerca de 100 anos atrás, em 1911, em Harvard, EUA, um grupo de astrônomos começou a comparar visualmente as estrelas e determinar suas variações. Nascia assim a mais representativa das organizações de observadores de estrelas variáveis do planeta com mais de mil membros em mais de 40 paises, a lendária AAVSO. Em seu site www.aavso.org podemos, de forma clara e sem rodeios, entender como funciona todo o processo de observação e coleta de dados das variáveis. São fornecidas cartas estelares mas é possível criar as suas próprias cartas dando espaço para uma pesquisa ainda mais individual exigindo mais responsabilidade do observador com sua fonte. São disponibilizados manuais com detalhes técnicos para a estimativa visual de brilho criando um padrão observacional planetário. E tudo é muito simples e prático, sem burocracias ou teorias excessivas. Algo bem democrático podendo ser praticado a olho nu, com binóculos ou pequenas lunetas. Cada membro escolhe seus alvos e como irá observá-los. A seguir veremos um exemplo:

 

A ESCOLHA DO ALVO

Na constelação de Orion temos muitos alvos em ptencial de onde destacamos a CK ORI. Vejamos o procedimento observacional:

Primeiramente localizamos a variável em ORION, por exemplo, usando o Cartes Du Ciel, com o catálogo GCVS, que contém uma coletânea de dados sobre estrelas variáveis. Outros alvos podem ser conhecidos através da página da AAVSO.

Norte para cima

CK ORI: alvo bem conhecido dos variabilistas, na constelação de ORION

Deve-se evitar campos muito grandes para escapar da visão excessivamente periférica. A nossa visão é mais precisa o quanto mais central for. Com um aumento de 20X e um campo de ocular de pelo menos 40 graus consegue-se, sem esforço, dois graus de campo final, o suficiente para se observar dezenas de variáveis.

Aproximando mais a variável conseguimos uma carta com os dados das estrelas próximas.

Norte para cima

Sendo a variável em questão uma estrela avermelhada procuramos estrelas de cor parecida para a comparação. Temos então duas candidatas de magnitude 7,50 e 6,78. Se a estimativa de brilho da variável for igual a um desses valores é só aplicar diretamente tal valor. Se o brilho for intermediário deve-se fazer uma interpolação dividindo este intervalo (7,50-6.78) em quantas partes forem necessárias para a estimativa final.

Feito isso anota-se o nome da variável, a estimativa atual de seu brilho, data (ano, mês e dia), hora e minutos pelo tempo universal, condições de observação (presença de Lua, névoa seca, poeira em suspensão, nuvens) e as estrelas de comparação. Neste exemplo não se usou a carta estelar da AAVSO mas o catálogo TYCHO que acompanha o Cartes Du Ciel (CARTAS DO CÉU).

Tendo feito seu cadastro gratuito na AAVSO (seu login será suas iniciais) é só submeter os valores apurados via WebObs pela internet mesmo.

 

ENTRADA DE DADOS NO WEBSITE DA AAVSO

Condições de observação: B para presença de Lua e S para incerteza nas estrelas de comparação

Cada conjunto de valores deve ser introduzido através do painel de entrada de dados mostrado acima. Um a um esses valores vão se somando a outros valores de outros observadores gerando uma CURVA DE LUZ indicando o padrão de variação de brilho da estrela.

Juntando os dados: os valores somados e seus respectivos observadores

 

É uma forma simples, prática e bem democrática de se fazer ciência. Pode-se quantificar o cosmos a nossa volta e conhecer mais sobre ele. Estes dados ficam armazenados e podem, a qualquer momento, serem utilizados por qualquer astrônomo para alguma aplicação teórica em sua pesquisa.

 

Para maiores detalhes de como observar variáveis, veja o Manual da AAVSO em português:

Para saber mais sobre como fazer a comparação entre as estrelas.

Para maiores informações sobre a AAVSO

Baixe agora um catálogo de 40 Estrelas Variáveis para binóculos com cartas produzidas pela própria AASVO.!

Vejam nosso vídeo sobre observação de estrelas variáveis no Youtube:

 

João Marcos é observador de estrelas variáveis e membro da AAVSO desde 2005.

Eclipse_lunar

Projeto de Observação do Eclipse ...
Projeto de Observação do Eclipse Lunar Total de 27 de Julho de 2018 no Lunissolar
Projeto de Observação do Eclipse Lunar Total de 27 de Julho de 2018 no Lunissolar Caros amigos, Acabamos de disponibilizar, em nosso portal de eclipses Lunissolar, uma versão temporária em inglês do projeto de ... Leia mais

Projeto de Observação do Eclipse Lunar Total de 27 de Julho de 2018 no Lunissolar ... Leia mais
09/10/2017
Sao

Blog "Sky and Observers" - outubro ...
Blog "Sky and Observers" - outubro 2017.
Caros(as) amigos(as), Neste mês estão publicados no Blog "Sky and Observers" os seguintes assuntos: - O asteroide (48) Doris em 2017! https://goo.gl/EM8s7M - O asteroide (42) Isis em 2017! https://goo.gl/iPTYu5 ... Leia mais

Caros(as) amigos(as), Neste mês estão publicados no Blog "Sky and ... Leia mais
01/10/2017
Boletim_observe

Boletim Observe! do mês de outubro ...
Boletim Observe! do mês de outubro de 2017.
O Boletim Observe! do mês de outubro de 2017 está disponível no endereço eletrônico abaixo: http://www.geocities.ws/costeira1/neoa/observe.pdf Leia a edição atual do Boletim Observe! Atenciosamente ... Leia mais

O Boletim Observe! do mês de outubro de 2017 está disponível no endereço ... Leia mais
01/10/2017
Telesc%c3%b3pio_icon3

Nelson Travnik: o astrônomo ...
Nelson Travnik: o astrônomo pioneiro!
Numa época em que tudo era difícil, veja abaixo o que o grande pioneiro da astronomia brasileira, Nelson Travnik, desenvolveu no Observatório Astronômico Flammarion, em Minas Gerais, nas décadas de 1950, 1960 e ... Leia mais

Numa época em que tudo era difícil, veja abaixo o que o grande pioneiro da astronomia ... Leia mais
01/10/2017