Usa Flag / English Version Bandeira do Brasil / Versão em Português
CURRENT MOON
Lua atual
Lacus MORTIS, Cratera BÜRG, Rimae Bürg e Domo Baily A 1.
(créditos: Vaz Tolentino.)

Informações sobre a Foto

Lacus MORTIS, Cratera BÜRG, Rimae Bürg e Domo Baily A 1.

(créditos: Vaz Tolentino.)

Lacus MORTIS:

Diâmetro: 159 Km;

Coordenadas Selenográficas: LAT: 45° 00′ 00″ N, LON: 27° 12′ 00″ E.

Período Geológico Lunar: Pré-Nectárico (Pré-Nectarian): 4,5 bilhões (logo após o tempo da formação inicial da Lua) até 3,92 bilhões de anos atrás.

Melhor período de observação: 5 dias após a Lua nova ou 4 dias após a Lua cheia.

A leste da cratera EUDOXUS e ao sul da ponta leste do comprido Mare FRIGORIS, encontra-se uma grande, antiga, inundada e degradada cratera, que não foi classificada como cratera, assim como ocorreu com Sinus IRIDUM. Estamos falando do Lacus MORTIS (lago da morte), uma planície circular irregular, com formato poligonal, coberta de lava basáltica, apresentando cerca de 159 Km de diâmetro médio e quase 20.000 Km2 de área. Lacus MORTIS está separado do Mare FIRGORIS apenas por uma faixa de terreno acidentado, não muito larga, com cerca de 65 Km.

A borda oeste de Lacus MORTIS é bem definida, mas grande parte da borda leste desapareceu, permitindo contato direto entre a lava de seu piso interior e da superfície externa.

Na metade oeste (principalmente no quadrante sudoeste) da área do piso interno de Lacus MORTIS existe um extenso e delicado sistema de sulcos ou canais (rimae), com cerca de 100 Km de comprimento total e 3 Km de largura em média. Esses canais cortam seu piso de lava lisa, e são conhecidos como Rimae BÜRG.

Na parte sul do piso de Lacus MORTIS, partindo de sua borda, existe uma escarpa com o lado leste alto, que se dirige em direção ao norte. Estranhamente ao longo do caminho, a escarpa se transforma num canal para depois se transformar numa escarpa invertida em relação ao início, com o lado oeste mais alto.

O piso interno pavimentado por lava deLacus MORTIS hospeda a cratera de impacto BÜRG, de 41 Km de diâmetro, posicionada um pouco fora do centro, para o lado leste. O piso também hospeda, ao norte de BÜRG, um domo vulcânico que apresenta aproximadamente 25Km X 40 Km de base, conhecido como Baily A 1. Sua altitude atinge acima de 500 m em relação à superfície circundante sudoeste, que é mais baixa.

Ao sul de BÜRG, na margem do Lacus MORTIS, encontra-se a cratera PLANA, com seu fundo liso e pico central, apresentando 44 Km de diâmetro e 1 Km de profundidade. Também na margem do Lacus MORTIS, a sudeste de BÜRG, encontra-se a parcialmente destruída e inundada cratera MASON, de formato irregular, apresentando dimensões 33Km X 43 Km e profundidade de 1,9 Km.

Ao sul de Lacus MORTIS localiza-se o Lacus SOMNIORUM, que se encontra separado de Lacus MORTIS, pelas crateras PLANA e MASON, e por uma pequena área de superfície irregular.

 

Cratera BÜRG:

Diâmetro: 41 Km;

Profundidade: 3,5 Km

Coordenadas Selenográficas: LAT: 45° 00′ 00″ N, LON: 28° 12′ 0″ E.

Período Geológico Lunar: Copernicano (Copernican): 1,1 bilhão de anos atrás até os dias atuais.

Melhor período de observação: 5 dias após a Lua nova ou 4 dias após a Lua cheia.

Quem foi BÜRG? Johann Tobias BÜRG (1766 - 1835) foi um astrônomo austríaco. BÜRG nasceu em Viena e trabalhou como professor e astrônomo em Klagenfurt, na Carinthia. Ele posteriormente trabalhou como assistente no observatório astronômico de Viena, de 1792 até se aposentar em 1813.

Um pouco a direita (para leste) do centro da área interna de Lacus MORTIS, está posicionada a cratera de impacto do tipo complexo BÜRG, com seus 41 Km de diâmetro e 3,5 Km de profundidade máxima do topo da borda até a região mais funda do piso interno. BÜRG possui uma montanha central de pico duplo, que ocupa boa parte de seu piso interno. O maior pico eleva-se por aproximadamente 1 km acima do fundo do piso.

A cratera BÜRG apresenta bordas com declives íngremes, paredes altas e estruturadas internamente em forma de terraços, além de um piso interno liso. A borda de BÜRG é quase circular, aparentando pouco desgaste. O interior tem forma côncava, mas com piso plano.

BÜRG está inserida no perímetro de uma antiga cratera inundada por lava basáltica, conhecida como Lacus MORTIS.  No lado oeste de BÜRG, por sobre o piso de Lacus MORTIS, existe um sistema de canais designado Rimae BÜRG.

Foto: Lacus MORTIS e a cratera BÜRG. O perfil altimétrico SW – NE da cratera BÜRG também é apresentado, destacando a montanha central de pico duplo. Foto executada por VTOL em ‎22‎ de ‎fevereiro‎ de ‎2011, ‏‎02:23:30.

Foto executada com apenas 1 frame em 0‎5‎ de ‎maio‎ de ‎2018, ‏‎01:31:52 (04:31:52 UT).

Telescópio & Câmera:
 
SkyWatcher DOB 16" Collapsible; 
 
Celestron Ultima 2X ED Barlow; 
 
ORION StarShoot Solar System Color Imaging Camera IV.
 
Apenas 1 frame.
Egeria

Asteroide (13) Egeria (Oposição)!
Asteroide (13) Egeria (Oposição)!
Caros(as) amigos(as)! Asteroide (13) Egeria em 2018! Veja: O asteroide (13) Egeria em 2018 O asteroide (13) Egeria em 2018 Um grande e fraterno abraço, Antônio Campos CEAMIG - REA/Brasil e AWB ... Leia mais

Caros(as) amigos(as)! Asteroide (13) Egeria em 2018! Veja: O asteroide (13) Egeria em 2018 ... Leia mais
14/05/2018
Jv

Júpiter e Vênus têm influência ...
Júpiter e Vênus têm influência no clima da Terra!
Júpiter e Vênus têm influência no clima da Terra! - por Cássio Barbosa / G1 Veja em: ... Leia mais

Júpiter e Vênus têm influência no clima da Terra! - por Cássio ... Leia mais
11/05/2018
Lixo4

LIXO ESPACIAL - Mais de 7,5 mil ...
LIXO ESPACIAL - Mais de 7,5 mil toneladas em órbita da Terra.
LIXO ESPACIAL - Mais de 7,5 mil toneladas em órbita da Terra.

LIXO ESPACIAL - Mais de 7,5 mil toneladas em órbita da Terra.
11/05/2018
Texto_travnik3

BRASIL AVANÇA NO ENSINO DA ...
BRASIL AVANÇA NO ENSINO DA CIÊNCIA DO CÉU E DO ESPAÇO - por Nelson Travnik.
E D U C A Ç Ã O - BRASIL AVANÇA NO ENSINO DA CIÊNCIA DO CÉU E DO ESPAÇO - por Nelson Travnik* (nelson-travnik@hotmail.com) Novas propostas, congressos e seminários enchem o cotidiano no afã ... Leia mais

E D U C A Ç Ã O - BRASIL AVANÇA NO ENSINO DA CIÊNCIA DO CÉU E ... Leia mais
10/05/2018